ONLINE
7




Partilhe esta Página

d

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

S

D

S

C

S

D

S

s  

D

 

MDA

A

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS


EDSON MICHALOSKI: Trazer o povo conhecer a Sanepar
EDSON MICHALOSKI: Trazer o povo conhecer a Sanepar

Investimentos, conscientização e avanços foram topicalizados pelo novo gerente regional

d

2017-05-09 às 15:01:43) O novo gerente da Unidade Regional da Sanepar de Telêmaco Borba, Edson Roberto Michaloski, foi o entrevistado desta manhã de terça-feira, pelo site Oberekando. Foram dez anos de trabalho pela autarquia municipal do ramo em Jaguariaíva onde nasceu, em 29 de outubro de 1971. Após, iniciou sua jornada em Londrina depois de aprovado em concurso para a Sanepar, com mais quase quatro anos em Ponta Grossa. Em União da Vitória, foi coordenador de Redes por também mais dez anos. “Tive agora a grata satisfação de vir gerenciar uma unidade bastante grande, indo de Carambeí até São José da Boa Vista e estamos felizes por estar aqui, participando da comunidade telêmacoborbense”.  

Ele chegou, e mostrou seu ímpeto ao trazer a empresa de saneamento mais próxima dos munícipes: Uma exposição de fotos de obras da Sanepar em todo Estado e mais uma cidade de Santa Catarina foi a ferramenta, além de uma reunião chamada “Sanepar e a Comunidade”, na Câmara Municipal de Telêmaco. Em outros municípios de abrangência, este evento está programado.

 

ÁREAS 3 E 6, EM TELÊMACO

Telêmaco Borba tem uma topografia pouco diferenciada de outros municípios que ele já atuou, ou seja, quanto à localização das bacias, tanto em relação à coleta de esgoto como também na distribuição.

Na Área 3, será concluído no máximo até agosto o projeto executivo, onde já foi feita licitação no valor de 110 mil reais para a construção da rede coletora, que passará nos passeios, que colocado por ele, “são bem estreitos”. Devido a isso ele alerta: “Nós vamos ter um pouquinho de dificuldade sim. A população vai ter um pouco de transtorno”, mas explica que isso é pela falta de um planejamento anterior. 

Na Área 6, antes da pavimentação, já foram feitas todas as galerias pluviais e rede coletora de esgoto. Já está licitada e encontra-se para homologação no Conselho de Administração da Sanepar, no valor de 2 milhões e seiscentos mil reais, duas elevatórias. “Como é uma região de topografia mais baixa, nós temos que ter duas elevatórias ali para tirar todo esgoto coletado nelas e levar até nossa estação de tratamento”. Em termos de cobertura de área geral coberta com esse benefício, concluiu Michaloski: “Somente com as Áreas 3 e 6 nós vamos chegar à 82% de coleta e tratamento de esgoto para Telêmaco Borba. Hoje nós estamos com 79%. O País tem a média de 60 a 65%”.

 

CONSENSO: EVITAR QUEBRADEIRA DE ASFALTO

Outra preocupação do novo gerente foi estar com prefeito Márcio Artur de Matos e o secretário de Obras e Planejamento Urbano, Rubens Quintiliano, pedindo a eles o mapeamento das ruas a serem pavimentadas, para que primeiro sejam feitos, quando necessários, os trabalhos da Sanepar.  “Isso é planejamento. Estamos conversando com a prefeitura e suas secretarias para que a gente evite isso no futuro!”, no sentido de coibir ao máximo e dentro do possível, que a pavimentação seja removida para obras.

 

A INTERAÇÃO COM A COMUNIDADE

d

“O gestor público tem que pensar na comunidade e com as pessoas, e nada mais justo que a gente ter essa afinidade com a população, apresentado a ela, de forma transparente, se a gente tem erros..., se a gente tem problemas” Essa abertura é muito grata, segundo ele, por ver que a população está entendendo os trabalhos da Sanepar. Alguns eventos já estão sendo pensados para se envolver ainda mais a comunidade. Isso é uma forma, conforme explicou, de estreitar os demais canais, além do contato telefônico, com a Sanepar.

 

PRENDER OS ANIMAIS AJUDA LEITURISTAS. TAMBÉM AQUISIÇÃO DE CAIXAS DÁGUA E O NÃO AO “FURTO” DE ÁGUA

Ele alertou, quando se relacionando aos cuidados no sentido de segurança pública, que os funcionários da empresa, além de crachá, também têm seu devido uniforme, em relação aos leituristas. De algumas dificuldades ainda encontradas pela equipe de trabalho, comentou que ainda existem algumas incidências de cães soltos, mesmo dentro do terreno e que são empecilhos por vezes. Ainda existem problemas de acessos aos locais onde se vão trabalhar, e se é necessário conscientização da cooperação para com eles.

CAIXA D´ÁGUA: Nos rompimentos de rede, são as únicas formas que não há como se prever e que não são feitos avisos prévios de interrupção de abastecimento de água. Os demais casos, sempre com antecedência, são levados até os meios de comunicação.

A consciência de aquisição de caixa d´água é de suma importância. Em Telêmaco ainda mais, pelo volume de obras que estão previstas a acontecer.

Quanto ao episódio de Telêmaco ter ficado quase uma semana sem água pela inundação da captação, há tempos atrás, ele relembrou que as obras lá executadas após isso, contemplam um período vindouro de 25 anos, levando em conta o crescimento da cidade, com duas bombas anfíbias, para caso de cheias do Rio Tibagi. Na estação de tratamento, no Alto das Oliveiras, será feito um trabalho para suprir essa demanda. “É importante para Telêmaco, dando uma condição de futuro!”.

‘O GATO’: que é o roubo de água, é outro problema na Capital do Papel: Uma média bastante alta para a cidade! “Quando é encontrado temos que fazer um boletim de ocorrência com nossa polícia. Isso dá uma série de transtornos, além da multa que é lançada na fatura deste cidadão, que é um caso ruim, feio, porque na verdade, num termo correto, seria roubo de água”.

Confira a entrevista, na íntegra:

LEIA TAMBÉM

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM SÓCIO TORCEDOR DA AVTB E PARTICIPE DAS VITÓRIAS DO VÔLEI DE TELÊMACO