ONLINE
7




Partilhe esta Página

d

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

D

S

C

S

S

S  

D

 

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

A


HISTÓRIA DE DONA MARIAZINHA FUNDE-SE Ŕ TB

ESPECIAL 53 ANOS DE TB

O AMOR AO MAGISTÉRIO E CAUSAS CULTURAIS E SOCIAIS TRAZ SUA TRAJETÓRIA AO OBEREKANDO

 D

2017-03-20 às 12:41:31) Uma homenagem pensada do site Oberekando, aos 53 anos de aniversário de Telêmaco Borba, deveria ser par e passo ao amor que tem a sua população a essa cidade. Dificuldades, alegrias, desafios e tudo aquilo que são ingredientes da vida de um ser humano: Assim também vive-se uma localidade!

Mas os momentos de adversidades por vezes, de superação, acontecem quando o amor vence! Ele vence nas salas de aulas, nas igrejas, no ato de ouvir com o coração e tantas outras bonitas atitudes! 40 anos dedicados à sala de aula, e uma unanimidade em Telêmaco Borba, homenagear Maria Aparecida Sidor Coraiola, é também homenagear a Capital do Papel. Ela, que nasceu em Castro, já é telêmacoborbense como segunda terra e tem um destacado currículo de trabalho, seja como diretora do Colégio Manoel Ribas de Harmonia, na Fazenda Monte Alegre, como também, nas cinco vezes que presidiu o Lions Club por cinco gestões. “Dona Mariazinha”, apelido carinhoso recebido à tantos anos, é a relações públicas e ouvidora da Casa de Saúde Dr. Feitosa. A instituição de Saúde tem a direção de Doutora Maria Paula Coraiola, sua filha. Mãe de dois filhos, André Coraiola dá à entrevistada, dois lindos netos!

“De 48 a 49 anos de Telêmaco Borba. Sou castrense, mas digo a todos os meus amigos que Telêmaco e minha cidade natal, porque há tantos anos esse município recebe a mim e a Ricardo, e depois os meus filhos aqui cresceram. Foram estudar fora e retornaram em suas profissões, para, juntamente, proporcionarmos, algo de bom ao município”.

Quando esse jornalista citou que toda família de seus pais nasceu em Castro, ela divide uma bonita declaração à essa cidade irmã: “Apesar de estarmos tanto tempo longe, não podemos esquecer que as nossas raízes estão em Castro”.

 

A SENHORA USOU O TERMO “MANECO”, ALGUMA VEZ?

Sempre tão cuidadosa com as palavras, com delicadeza e de uma cultura sui generis, ao ser perguntada se costumava, no momento de maior entretenimento com os alunos, chamar a instituição de “Maneco”, que é a abreviação teenager que eles usavam referenciando-se ao Colégio, confessou que não lembra das raríssimas vezes que isso tenha cometido. “Uma reverência à figura, ao homenageado, e porque nós, professores, diretores, ou vice-diretores, sempre tratamos de Colégio Manoel Ribas”.

 

PIONEIRISMOS E DEDICAÇÃO INCONDICIONAL AO LIONS

Das muitas contribuições, coube a ela inaugurar uma série de iniciativas ou de atribuições que exercera, que trouxeram, não apenas visibilidade, mas crescimento cultural à Telêmaco. Eis algumas: 1ª Exposição de Artistas Locais, pelo Lions e Hotel Ikapê, Primeira presidente da Associação Cultural da Casa da Cultura. “Estive à frente do grupo de senhoras e mães, que trouxe a primeira professora de Ballet ao Município”. Ela assinou também a 1ª Semana de Cultura. A primeira presidência de uma mulher no Lions Clube Monte Alegre, a qual hoje é sua vice-presidente, também coube à Maria Aparecida: “O nosso Lions completará agora em setembro, 63 anos. Nós somos 10 anos mais velhos que o próprio município”. Ela foi cinco vezes já presidente, e hoje é past presidente do clube. Este que é o quarto Clube do Paraná, e o 24ª do País a ser fundado.

 

MARIAZINHA É UMA TENRA LEMBRANÇA DE INFÂNCIA. ELA TAMBÉM HOMENAGEIA ESPOSO RICARDO

A lembrança mais tocante de sua infância foi quando escutou pela primeira vez, ser chamada de Mariazinha. Como seu pai, capitão de cavalaria militar, atuava em Guarapuava, queria que sua filha nascesse em Castro, e num telegrama especial recebido pela esposa (mãe da entrevistada e que era também professora), “ele colocou que estava muito feliz e que havia nascido a nossa ‘Mariazinha’. E Mariazinha ficou para a família, para meus queridos alunos, e enfim, para todo mundo!”.

Ela comentou com carinho do Klabiniano por 35 anos, Ricardo, seu esposo, e que já falecera. Engenheiro químico. Uma série de cursos, de Pós-graduações e congressos, nacionais e internacionais, fez com que, numa bolsa de estudos recebida por ele, em Hamburgo, na Alemanha, fosse o local de nascimento do filho, André Coraiola, conceituado advogado e diretor jurídico do Instituto Dr. Feitosa.  Ela estava nessa época entre seus 24 e 25 anos.

 

FORMAÇÃO, AMOR À EDUCAÇÃO E VOTOS À TELÊMACO BORBA

D

Bióloga, formada na Faculdade de História Natural da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Federal do Paraná. Ela lecionou durante 40 anos em vários colégios, e não só em Telêmaco. “Posso dizer a você que meus primeiros médicos, odontólogos, veterinários, e agrônomos foram da primeira turma (equivalente ao Ensino Médio) em Castro”. De suas inúmeras aparições em publicações e revistas, várias delas também deram-se em trabalhos de pós-graduação. Numa feita, em que não pode estar presente, uma de suas produções científicas foi apresentada por seu orientador em Cuba.

53 anos de Telêmaco para ela representa alegria, esperança, desenvolvimento. Representa um município jovem, que nas diferentes gestões que já passaram, cada uma trouxe um sopro: “Sopro de esperança, muita coisa gostosa e boa, e desejo que muitos 53 anos o nosso município possa comemorar, tendo sempre telêmacoborbenses que gostem de sua terra, gostem de seu município e que o respeitem. Fico feliz que Telêmaco Borba seja minha segunda terra natal!”.

 

MARIA APARECIDA SIDOR CORAIOLA E ALGUNS DE SEUS ATRIBUTOS 

  • Cidadã Honorária do município de Telêmaco Borba.

 

  • “Castrense que Brilha”: Título outorgado pela Câmara Municipal de Castro, pelo destaque fora do município.

 

  • Sócia Benemérita da Associação Comercial e Empresarial de Telêmaco Borba (Acitel). Dela exerceu por mais de sete anos cargos, inclusive a presidência do Conselho da Mulher Executiva.

 

  • Homenageada representando a sociedade telêmacoborbense em eventos como “Mulher Paraná 2006” e “Noite das Personalidades”, ambos em Ponta Grossa.

 

  • Convidada por Hellê Vellozo Fernandes, a primeira jornalista de Telêmaco Borba, a compor a Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil, com o cargo de conselheira.  

 

 

LEIA TAMBÉM:

TB 53 ANOS: BRUNA VIOLA E RODEIO ATRAEM MULTIDÃO