ONLINE
14




Partilhe esta Página

C

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

D

S

C

S

S

S

S

D

S

s  

D

 

MDA

A

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

D


IMPEACHMENT 92: votação da saída de Collor
IMPEACHMENT 92: votação da saída de Collor

Lupion, hoje com Beto Richa como presidente da Cohapar, deu voto favorável à Collor. Já Ratinho foi pelo “Fora”.

 FONTE VÍDEOS: YOUTUBE

 s

2016-04-14 às 12:47:37) O site Oberekando traz a memória os fatos que nortearam no ano de 1992, e especificamente o dia 29 de setembro em que os deputados decidiram pelo impeachment de Fernando Collor de Mello.

De suma importância relembrar-se a história para que possamos saber, 24 anos depois, melhor assimilar o que o Brasil irá rumar, independente do resultado, via Câmara dos Deputados no próximo domingo, previsto para início da sessão de votação às 14 horas, se é aprovado ou não, e se sim, a ida para votação do Senado Federal, da ação de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

Fernando Collor, renunciou após cumprir afastamento da presidência justamente pela decisão de 441 votos a favor e 33 contra a abertura do processo de impeachment de Collor, pela Câmara dos Deputados, no dia em que aconteceria o julgamento pelo Senado Federal. Assim ele cumpriu 8 anos de inelegibilidade. Hoje ele é senador por Alagoas.

 

O PARANÁ NO IMPEACHMENT DE COLLOR: RATINHO VOTA PELA SAIDA DO “CAÇADOR DE MARAJÁS”. E LUPION VOTOU PELA PERMANÊNCIA DO ALAGOANO

Como se autodenominava, o “Caçador de Marajás”, vindo de Alagoas, levou os paranaenses, quase que unânimes torcendo pelo afastamento na votação pela Câmara, a roer unhas. Aberlardo Lupion, que hoje é o presidente da Cohapar – Companhia de Habitação do Paraná, em virtude de seu nome ser o primeiro na ordem alfabética entre os parlamentares, foi o início, e com sim, à Collor. Na época isso causou certo constrangimento ao Estado pelo clamor popular, mas era a opinião dele, e que tinha que ser respeitada. Ele teve, não na eleição subsequente, mas em outras, sua eleição para o mesmo cargo, por outras oportunidades. Na eleição seguinte, dos que votaram a favor de Collor, apenas, ironicamente, Roberto Jefferson, delator do Mensalão, foi quem conseguiu reeleição. O apresentador Ratinho era também parlamentar, no entanto, votou pelo “fora” Collor. Também Antônio Barbara, Otto Cunha e Werner Wanderer. Apenas Basílio Villani, além de Lupion, foi contrário ao impeachment. Também foram “fora Collor” em 1992, Flávio Arns (PSDB), Paulo Bernardo (PT), Luciano Pizzato (PFL, hoje DEM) e Edésio Passos (PT).

 

LEIA TAMBÉM:

ABERTA A 8º EXPO-FLOR DO LIONS INDO ATÉ DOMINGO - DAS 09 ÀS 22 HORAS NA CASA DA CULTURA