ONLINE
7




Partilhe esta Página

a

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

S

D

S

C

S

D

S

s  

D

 

MDA

A

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS


IVAN DINIZ: SUCESSO NA CONTABILIDADE E NA VIDA
IVAN DINIZ: SUCESSO NA CONTABILIDADE E NA VIDA

A Diniz & Diniz Consultoria é referência em TB e região

 sd

2017-09-26 às 23:02:13) O site Oberekando traz um pouco da trajetória de Ivan Diniz. Nascido em 03 de março de 1956, compartilha com os leitores a experiência de ter iniciado como funcionário de um dos, senão o primeiro escritório de contabilidade de Telêmaco e hoje vê seus filhos à frente da Diniz & Diniz Consultoria, que é uma referência para a microrregião. Ao inverso do que tem ditado o mercado, trata-se de uma empresa familiar que mostra vitalidade e ganha longevidade.

 

FILHOS

“É um orgulho tê-los ai a frente, tanto Marcelo (Associação Comercial e Industrial de Telêmaco Borba), como Eduardo (Apae). Como pai é um orgulho muito grande ver os filhos se despontando ativamente, em prol da comunidade, seja pelo segmento que for, mas mostrando um serviço à sociedade”. O terceiro filho, Juliano, não atua no escritório, mas sim no Projeto Puma, das indústrias Klabin.

 

CAMINHADA PROFISSIONAL

“Pessoas da minha faixa etária começam uma vida profissional muito cedo, e eu aos 14 anos iniciei, trabalhando num escritório de contabilidade, que eu acredito que se não o primeiro, foi um dos primeiros de Telêmaco Borba, de propriedade de Nicolau José Hadad”. O intervalo no ofício ora adquirido se deu apenas para o cumprimento do dever pátrio, onde no 13ª BIB, serviu o Exército, por um ano. Ao voltar, foi trabalhar com o saudoso Adhemar Imoto. “Pessoa de uma índole muito boa e que infelizmente não está mais conosco”. Primeiro iniciou como funcionário dele, e depois uma sociedade que durou 25 anos. Em maio de 2000, percebeu que “os meninos” na época (os filhos), precisavam de uma colocação e viu assim a necessidade de se tornar independente.

O escritório do Sr. Diniz se situou na Avenida Dr. Horácio Klabin, depois por cerca de quatro anos, migrou para a Associação Comercial (Acitel): “Lá foi um bom tempo e o escritório cresceu, mas 2009 é que marca o auge quando eu tive a parceria do Marcelo e do Eduardo”. Uniu-se ai dois negócios, segundo ele: Contabilidade e corretor de seguros. “A partir daí aconteceu o crescimento, chegando aonde está até hoje!”.

 

HISTÓRIA CONTÍNUA E DE PROGRESSO

Hoje o escritório, afirma Ivan, se desponta muito bem na cidade e microrregião. O fato de ser o único na área, com certificação pela ISO 9001 nos Campos Gerais, é outro importante diferencial.

O patriarca da família se dispôs à comandar a filial em Ponta Grossa. Outro fator agregador de estar na Princesa dos Campos também é localizar-se estrategicamente, na circunvizinhança de importantes órgãos, como a Receita Federal, Procuradoria, Ministério do Trabalho, dentre outros. “Vejo que a gente está em ascensão, tanto em Telêmaco Borba como em Ponta Grossa”. Em todos os momentos Diniz fez questão de lembrar que o sucesso é o time, e que é vencedor devido também aos colaboradores e parceiros.  Ele destaca a presença de uma das noras que o auxilia, aqui em Telêmaco: Vanessa, esposa de Juliano. “Temos que dar graças a Deus por tudo e não reclamar de nada que acontece na vida da gente, porque nós somos, realmente, tanto familiar como profissionalmente, abençoados por Deus”

 

FILHO PRESIDENTE DA ACITEL

O fato de ter o filho Marcelo, também na presidência da Associação Comercial e Empresarial de Telêmaco Borba (Acitel) resume a que não basta ser bem sucedido dentro de sua empresa e conquistar o seu espaço: “Você tem que se doar!”, sendo assim uma maneira de também se realizar profissionalmente.

 

EDUARDO QUE PRESIDE A APAE

Ao ver que seria conduzido à presidência da Escola Especializada São Geraldo, a Apae de Telêmaco, Eduardo veio até o pai e a ele falou que faltava algo dentro dele, além de já estar realizado profissionalmente, ter uma família bonita, duas filhas maravilhosas, e uma esposa que contribui ao seu lado: “Derramei lágrimas junto dele e perguntei o que ele queria e ele disse que ser presidente da Apae. ‘Eu quero me realizar de outra forma. Eu quero doar um dia de minha semana em favor daquelas pessoas menos favorecidas’” , citou as palavras de Eduardo.  O entrevistado tem seu legado desde 1992 pela Apae, como diretor financeiro, e então é algo a mais herdado de pai pra filho em termos de servir ao próximo.

 

RECORDAÇÕES E DIFICULDADES NA ARTE DE CONTÁBEIS DO PASSADO

Época que a geração de contabilista de hoje não viveu, ele recordou o uso das máquinas Facit, bem como as noites que varou fechando, por exemplo, folhas de pagamento, e fazia de caixas de impressos a serem usadas, de encostos para relâmpagos intervalos para espantar o cansaço.  Ele lembrou os formulários de imposto de renda de pessoa física que tinha quase um metro de largura, onde o carro (da máquina de escrever) tinha que ser longo. Em caso de erro, “você não podia apresentar aquilo com rasura. Você simplesmente tinha que eliminar e fazer tudo de novo!”.

Ao final da entrevista, com autoridade que sua experiência na área lhe dá, comentou da mudança que está para entrar em vigor com a já aprovada Reforma Trabalhista, vendo-a com bons olhos, pois moderniza uma legislação que fora estabelecida em 1943. Um dos fatores elencados por ele, por exemplo, é o aumento da capacidade das empresas em contratarem.