ONLINE
8




Partilhe esta Página

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

D

S

C

S

S

S

S

D

S

s  

D

 

MDA

A

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

D


MÁRCIO: COMEMORAÇÃO FOI EM FRENTE AO COMITÊ

Ex-vereador e ex- deputado federal, sua vice já fora primeira-dama e secretária de Ação Social

FONTE DADOS ELEITORAIS: TSE

s

2016-10-02 às 22:23:14) O ortopedista Márcio Artur de Matos foi o vencedor das eleições municipais de Telêmaco Borba, ao Executivo. Na chapa, Rita Mara Araújo, esposa do ex-prefeito Eros Danilo, é sua vice.

Confira a entrevista dada ao Oberekando, pelo candidato a prefeito vencedor, na tarde deste domingo, e também a animação de cabos eleitorais, eleitores e população, que comemoraram a vitória do 12.

Eis os números, tanto para o Executivo, como a formação da nova Câmara que será empossada em primeiro de janeiro de 2017:

 dd

 

--

 

s

 

 SABENDO MAIS DE MÁRCIO MATOS (Fonte: FGV – CPDOC) 

Márcio Artur de Matos nasceu em Mineiros do Tietê (SP) no dia 29 de março de 1946, filho de Edeval de Matos e de Idenia Pincelli de Matos.

Entre 1969 e 1974 frequentou a Escola Paulista de Medicina, em São Paulo e fez residência médica em cirurgia-geral durante os anos de 1975 e 1978. No mesmo ano do término de sua residência, transferiu-se para Telêmaco Borba (PR). Nessa cidade, foi médico da casa de saúde Doutor Feitosa, médico da Organização Monte-Alegrense de saúde, tornado-se médico-chefe na casa de saúde doutor Feitosa entre 1991 e 1993 e, a partir ano seguinte, médico do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar). Passou também a atuar em entidades de classe, exercendo a presidência do sindicato dos médicos do Paraná (SIMEPAR) e da associação médica de Telêmaco Borba de 1990 a 1992. Integrou ainda o Conselho de Saúde dessa mesma cidade entre 1991 e 1992.

No pleito de outubro de 1992 foi eleito vereador em Telêmaco Borba na legenda do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Empossado em janeiro do ano seguinte, assumiu também a presidência do diretório do PMDB em Telêmaco Borba. Em 1993, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT). Entre 1994 e 1996 foi presidente do diretório do PT em Telêmaco Borba, tendo sido eleito vice-presidente no ano seguinte e participado ativamente da organização do partido na região. No pleito de outubro de 1994 candidatou-se a deputado federal pelo PT obtendo apenas uma suplência. Em 1996 foi nomeado membro do diretório estadual do PT no Paraná.

No pleito de outubro de 1998 elegeu-se deputado pelo Paraná na legenda do PT com 37.641 votos. Em janeiro de 1999, assumiu a cadeira de deputado federal em virtude do afastamento do titular Nedson Micheleti.

Voltou a Câmara em 1º de fevereiro quando tomou posse do mandato conquistado em outubro anterior. Nessa legislatura foi membro das comissões de Desenvolvimento Urbano e Interior, e de Seguridade Social e Família. Votou a favor do fim dos juízes classistas, das restrições à emissão de Medidas Provisórias pelo executivo, da demissão dos servidores públicos por insuficiência de desempenho, da proibição do nepotismo, da quebra do sigilo bancário dos acusados de crime de corrupção. Foi contra a recriação da Contribuição Provisória por Movimentação Financeira (CPMF), a auto-anistia das multas, o fator previdenciário, e do foro especial para julgamentos de improbidade administrativa.

Em julho de 2000 foi expulso do PT sob a acusação de trabalhar pela reeleição do prefeito de Telêmaco Borba Carlos Hugo Von Graffen, do Partido Republicano Progressista (PRP) em detrimento da candidatura petista. Em 2001, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), passando a fazer parte da base de apoio ao governo de Fernando Henrique Cardoso. Em abril de 2002, recusou-se a assinar o requerimento para a formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) destinada a apurar as acusações de corrupção durante o segundo mandato de Fernando Henrique.

Nas eleições de outubro candidatou-se à reeleição pelo PTB e obteve uma suplência. Deixou a Câmara em 31 de janeiro de 2003, ao final da legislatura. Voltou ao exercício da medicina na região de Telêmaco Borba.

No pleito de outubro de 2004 concorreu a prefeitura de Telêmaco Borba na legenda petebista, obteve 15.111 votos (43,1% dos votos válidos), sendo derrotado por Eros Danilo Araujo (PMDB) que obteve 19.901 votos (56,8% dos votos válidos). Após a derrota ingressou no Partido Democrático Trabalhista (PDT). Em outubro de 2008, tentou mais uma vez eleger-se prefeito de Telêmaco Borba, agora na legenda do PDT. Teve 14.397 votos (31,9% dos votos válidos), tendo sido novamente derrotado por Eros Danilo Araujo, do PMDB, que conseguiu a reeleição obtendo 14.397 votos (37,8% dos votos válidos).

A ESTE TEXTO ACRESCENTA-SE AGORA A SUA VITÓRIA, por 17.253 votos, no percentual de 45,26% destes, neste 02 de outubro de 2016.

 

Leia Também:

CONHEÇA AS VITÓRIAS DA AVTB E A PATROCINE VOCÊ TAMBÉM