ONLINE
6




Partilhe esta Página

S

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

S

D

S

C

S

D

S

s  

D

 

MDA

A

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS


Telêmaco vê popularizar o uso de táxis
Telêmaco vê popularizar o uso de táxis

Porém segurança traria mais normalidade ao serviço à noite

r

17-03-2015 às 21:00:52) Os taxistas de Telêmaco Borba são representados por João Acir Prestes (58), que já se encaminha para o terceiro mandato de dois anos, num grupo não oficializado documentalmente, mas acordado entre esses profissionais.  Teve como seu vice, José Iuki, numa gestão, e Reinaldo em outra. Hoje, sem ter um vice, recebe todo apoio da TBTran, a Secretaria de Transporte Municipal. Coleguinha, como é carinhosamente conhecido o presidente, disse que na época, foi solicitada por parte da administração municipal, uma liderança entre os taxistas.  Hoje Telêmaco conta com 43 taxistas, divididos entre os seis pontos fixos da cidade, além da rodoviária que é rotativo. Neste ponto central trabalhão seis motoristas e mais o presidente, com escala fixa nesse local.

Hoje Telêmaco se utiliza mais de táxis, e o setor é movimentado pelo fluxo de pessoas ao projeto Puma, além de que é grande também a expectativa pelas festividades de 51 anos da cidade no que se refere ao traslado de pessoas até o Centro de Eventos. Num panorama geral, ele avaliou o uso do táxis pela população: é uma maneira segura, além de que muitas vezes quando se vai a uma comemoração, é a forma mais eficaz de respeitar a Lei Seca, deixando o carro em casa. A utilização do táxis hoje está popularizada em Telêmaco.  João Prestes destaca o papel do taxista, muito além de um simples motorista: “Somos o cartão de visitas para nossos visitantes, porque somos nós que os recepcionamos em sua chegada á Telêmaco. Muita gente, como é normal quando se chega a uma cidade em que todos são estranhos, fica perdido, e aí temos essa obrigação, que nos é um prazer, de bem os atender, e não só para nossas corridas, mas sim, com nossa atenção, que será o nosso Seja Benvindo!”

SEGURANÇA: Maior dificuldade

e

Coleguinha desabafa que o maior problema da categoria na cidade é a falta de segurança, item ao qual reivindica: “Pedimos maior apoio na segurança, por parte das autoridades, e que sejam instaladas câmaras de segurança nos locais que também atuamos, especialmente na rodoviária”. Ao ser questionado quantas vezes houve reunião da categoria com as autoridades policiais para que fizessem suas reinvindicações e exposição das necessidades da categoria nesse sentido, disse que nenhuma, pelo menos em suas gestões. “Reconheço que se deixa a desejar o atendimento de táxis durante a noite , não porque os taxistas não queiram trabalhar, mas sim para não ficarem expostos em lugares sem movimento de pessoas, e correndo riscos à sua integridade”.

Presidente na boleia

Prestes iniciou como taxista em 1978, e deu um intervalo, quando trabalhou na prefeitura por sete anos, chegando a ser chefe das ambulâncias. Faz dez anos que voltou ao táxis, e por todo tempo, na rodoviária. Ele também inovou, pois abriu num período, no município, uma loja de locação de veículos.

Telêmaco possui uma cooperativa de taxistas, mas esses também estão inclusos no número total da categoria acima citado, de 43 profissionais.