ONLINE
9




Partilhe esta Página

S

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

S

D

S

C

S

D

S

s  

D

 

MDA

A

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS


“Violência Contra Mulher”está sendo discutida emTB
“Violência Contra Mulher”está sendo discutida emTB

Módulo de capacitação trouxe a desembargadora do TJPR

ghgh

26-10-2014 às 09:52:58) A Desembargadora Denise Krüger, do Tribunal de Justiça do Paraná, responsável pelo CEVID (Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar) está abrilhantando na manhã dessa sexta-feira (26), a capacitação com o módulo “Violência Contra Mulher”, da Rede Intersetorial de Enfrentamento a Violência do município de Telêmaco Borba. Além dela, também do TJPR, Bruna Rosa falará aos mais de 160 presentes ao evento. O prefeito Luiz Carlos Gibson, o presidente da Câmara, Carlos Roberto Ramos, além do secretário da Saúde da cidade, Cláudio de Souza, se fazem presentes. Autoridades judiciárias, das polícias Civil e Militar, também lá estão.

dg df asdf

Na palestra aos convidados, a desembargadora relatou que no Estado existem 16 delegacias com atendimento específico à mulher. Que o primeiro juizado de atendimento às mulheres vítimas de violência foi aberto em 2007 no Paraná, sendo que atualmente, apenas Curitiba tem um, específico para violência neste sentido, sem o acúmulo de competência.

Números alarmantes de violência contra as mulheres

Estarrecedores números foram citados por ela, quando se recorreu a recentes levantamentos no que tange a homicídios contra as mulheres. O Brasil é o sétimo país com maior número no mundo, onde 71% dos casos acontecem dentro das residências. O Paraná tem a terceira maior taxa no País. As cidades do Estado constam em 2º lugar: Piraquara, 23º: Araucária, 31º: Fazenda Rio Grande e em 60º: Curitiba, da listagem nacional das mais violentas contra as mulheres no Brasil. Curitiba é a quarta capital nesse triste quesito.

Telêmaco Borba: 44º no ranking das mais violentas no Brasil

A colocação de Telêmaco Borba no número de homicídios num universo de 399 cidades que existem no Estado já não seria apreciável se fosse a 44º. Pior ainda foi saber que essa marca é em nível de Brasil. A violência acontece, segundo Krüger, em idade até nove anos, por parte de pais e mães. Já, de 29 a 59, pelos cônjuges.

Hoje Telêmaco tem uma população de 35.486 mulheres, entre pouco mais de 74 mil habitantes. A Juíza da Comarca de Telêmaco Borba, Bruna Greggio, elogiou a iniciativa da Rede Intersetorial, e disse que é fundamental que a população do município tome consciência desse número que coloca Telêmaco como a 44º com mais violência contra à mulher, no País. “É importante todos termos conhecimento desses dados, para tomarmos consciência.”

Articuladora da Rede Intersetorial de Enfrentamento a Violência telêmacoborbense, Bibiana Maria Gil Copetti Santos (31) disse-se surpresa porque ainda ontem à noite eram 150 inscrições já confirmadas e na manhã chuvosa dessa sexta-feira, o auditório estava praticamente tomado. “São sete municípios presentes de nossa microrregião e mais Castro”, comemorou. Quanto ao tema em si, ela disse: “Todo mundo sabe que existe esse problema (violência contra a mulher), mas muitas vezes não sabe como lidar com o caso!”.

Em matéria anterior ao encontro, Bibiana concedeu uma esclarecedora entrevista sobre a violência, suas formas e a necessidade de denúncias. Confira:

 

Leia Também:

Mulheres Paranaenses: homenagem à desembargadora Denise Krüger