ONLINE
11




Partilhe esta Página

s

DFF

d

ACITEL

s

sr

a

A

S

D

S

C

S

D

S

s  

D

 

MDA

A

AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS


VAGAS NOS CEMEIS: TB teve a II Audiência
VAGAS NOS CEMEIS: TB teve a II Audiência

Falta que se dá dos 0 a 3 anos foi debatida com pais, município e promotoria

 f

2016-06-21 às 09:26:51) Aconteceu na noite de ontem no auditório da Secretaria Municipal de Educação (SME) de Telêmaco Borba a II Audiência Pública sobre Déficit de Vagas para crianças de 0 a 3 anos nas creches municipais (Cemeis).

s

Além de pais, com reivindicações específicas e que esperam vagas para seus filhos, também lá estavam as autoridades que prestaram os esclarecimentos e mesmo conduziram o evento: O prefeito Luiz Carlos Gibson, o secretário municipal de Educação, professor Celso Augusto de Souza, chefes setoriais da SME, além da procuradora do município. Também o promotor da Vara da Infância, Dr. Diogo de Assis Russo, que solicitara a reunião. A chefe do NRE de Telêmaco, professora Sueli Martins se fez também presente.

s

Responsável pela Seção dos Centros Municipais de Educação Infantil, Deovane Carneiro Ribas, entre outras falas, citou da territorialização das vagas, que é uma forma de assegurar um maior e mais eficaz número de atendidos, e que estejam nas proximidades de suas residências.

Celso Augusto conduzindo a audiência, lembrou que de imediato, 186 vagas, da carência atual de 594, poderão ser disponibilizadas com medidas emergenciais, mas sem o comprometimento da qualidade do que vem sendo ofertado. Veja o quadro com as propostas:

s

Hoje são assim distribuídas as vagas nos Cemeis:

s 

Situação em 2013 e atual quadro, matriculas e fila de espera:

s

Esse é o planejamento para a criação de um total de 684 vagas, sendo a deficiência, na lista de espera de 594, nesta faixa de 0 a 3 anos:

s

Ao usar da palavra, o promotor disse que a audiência se dá justamente para que os pais sejam ouvidos. Ele destacou a importância do sistema educacional na vida da criança, ao elencar a desestruturação familiar e o fato de crianças estarem fora da escola, como decisivos para que existam famílias com menores infratores. “Quem dá educação são os pais, mas o complemento, com conhecimento, vem da escola”, epigrafou.

Dos pontos citados por ele, a necessidade de que o setor privado também dê sua contribuição na oferta de vagas e que isso não recaia somente ao Poder Público, num entendimento das dificuldades ao qual passa todo o País nesse sentido. Porém, ele pediu da Prefeitura: transparência nas informações aos solicitantes de vagas, alertando de que essa “não pode se dar ao luxo de ficar inerte”. Outra medida solicitada pelo promotor é a divulgação, de cinco em cinco dias, em um meio de comunicação que seja um blog ou site oficial, das medidas e dos avanços práticos que vem sendo executados nesse sentido, além de todo atendimento, na Secretaria de Educação, inclusive com a exposição de toda a documentação, aos pais que quiserem se ater do andamento da espera de vaga aos seus filhos.

A professora Édina Guimarães, que é a chefe de Planejamento da SME, fez questão de pontuar aos pais e demais presentes: “A angustia de vocês, é a nossa também! Nós queríamos é não estar aqui, e termos vagas para todas as crianças”.

s

Após a exposição por parte das autoridades, foi aberta a palavra aos pais.

 

Leia Também:

CONHEÇA AS VITÓRIAS DA AVTB E A PATROCINE VOCÊ TAMBÉM